Olho por olho , e o mundo ficará cego .











Mahatma Gandhi








Saber


Vi _Ver .



Sunday, January 02, 2011

Alfazema



Agora que o silêncio é um mar sem ondas ,
e que nele posso navegar sem rumo ,
não respondas
ás perguntas
que te fiz .
Deixa-me ser feliz
assim ,
já tão longe de ti , como de mim .

Perde-se a vida , a desejá-la tanto.

Só soubemos sofrer, enquanto
o nosso amor
durou.

Mas o tempo passou.
Há calmaria ...
Não perturbes a paz que me foi dada.

Ouvir de novo a tua voz seria ,
matar a sede com ... água salgada .
!



Miguel Torga

4 comments:

Daniele O said...

Oi!
Mas que belo texto, só tempo cura nossas dores, mas nos deixa a saudade.
Tudo é um grande aprendizado !
Bjs
Um ótimo 2011!
Ser Estranho Ser!

AC said...

Um apelo ao bom senso. Mas existirá disso no amor?

Beijo :)

Lilá(s) said...

Essa imagem está fabulosa!a tua caixinha de surpresas está bem recheada!
beijinhos

poetaeusou . . . said...

*
belo,
muito belo !
a foto e as palavras de Torga,
um Torga que se contradiz,
(Não perturbes a paz que me foi dada.)
e quando incita,
(Canta, poeta, canta!
Violenta o silêncio conformado
Cega com outra luz a luz do dia
Desassossega o mundo sossegado
Ensina a cada alma a sua rebeldia)
,
In-Miguel Torga
,
violáceas conchinhas,
ficam,
*


,