Olho por olho , e o mundo ficará cego .











Mahatma Gandhi








Saber


Vi _Ver .



Friday, July 01, 2011

Violetas
















Eu trago-te nas mãos o esquecimento ,
Das horas más que tens vivido , amor !
E para as tuas chagas o unguento
Com que sarei a minha própria dôr .


Os meus gestos são ondas de sorrento ,
Trago no nome as letras de uma flor .
Foi dos meus olhos garços que um pintor
Tirou a luz para pintar o vento  ...


Dou-te o que tenho ... o astro que dormita ,
O manto dos crepúsculos da tarde,
O sol que é d'oiro, a onda que palpita,


Dou-te comigo o mundo que Deus fez  !
Eu sou aquela de quens tens saudade ,
A princesa do conto ... " Era uma vez ... "




Florbela Espanca

5 comments:

Andradarte said...

A incrível Florbela Espanca....
Beijo

Lilá(s) said...

É evidente que o poema de Florbela Espanca fica enriquecido com a imagem escolhida...até parece que tem aroma!
Bjs

A.S. said...

Florbela, continua entre nós através da sua incomparável poesia!...


Beijos!
AL

N. Barcelli said...

Nunca me canso de ler a Florbela.
Gosto sempre das tuas escolhas...
Beijo.

Smareis said...

Nunca irei cansar de ler Florbela Espanca, ela é minha poeta preferida.Ótima escolha! Um beijo e ótimo começo de semana!