Olho por olho , e o mundo ficará cego .











Mahatma Gandhi








Saber


Vi _Ver .



Tuesday, May 31, 2011

Alfazema


















Deito - me  tarde
Espero  por  uma especie de silêncio
que nunca  chega  cedo
Espero a atenção a concentração da hora tardia
Ardente e nua .
É então que os espelhos acendem o seu segundo brilho
é então que se vê o desenho do vazio
É então que se vê subitamente
a nossa  mão  poisada sobre a mesa .

É então que se vê passar o silêncio

Navegação antiquíssima e solene .



Sofia de Mello Breyner

11 comments:

Lilazdavioleta said...

Continuo incapaz de comentar em alguns blogs , pelo que peço desculpa

Marilu said...

Querida amiga, belíssimo texto. Beijocas

Lilá(s) said...

Mais uma preciosidade da minha adorada Sofia, este vou levar para a minha pasta de poesias preferidas não te importas?
Maria instala o Google Chrome, é fácil e ocupa pouco espaço, ficas com o problema resolvido, se tiveres duvidas pergunta cá em casa tenho um perito...
Bjs

Nilson Barcelli said...

Não é nada fácil ver passar o silêncio...
Bela escolha, os poemas da Sofia lêem-se sempre com agrado.
Querida amiga Maria, bom fim de semana.
Beijos.

Beatriz Prestes said...

Sempre um privilégio te ler minha amiga!!
Obrigada pelo texto!!
Beijo carinhoso
Bea

Mariazita said...

Boa tarde, Maria
A beleza da poesia de Sophia está bem patente neste poema (como em todos, afinal...)
Obrigada pela partilha.

O meu olhito vai indo. Obrigada pelo teu cuidado. Ainda faltam 2 meses e tal para se ver o verdadeiro efeito... Aguardemos.

Boa semana. Beijinhos

Miguel said...

Nada consegue consumir o silêncio da madrugada.

Belo poema minha cara, até outras.

Rua Sem Dono said...

Cor da Flor!

Que doce e quente seja essa espera em que só a pele nos possa trazer essa densa quietude, sensação única dos mais ternos e confusos amores, e que sempre povoe os corações, mas só os dos mais frágeis e ridículos amantes.

Beijos

ALUISIO CAVALCANTE JR said...

Querida amiga

O silêncio
não é vazio de
palavras
e tão pouco de sentimentos.

O silêncio
é o profundo
do olhar
sobre nós mesmos.

Que sempre
existam
sonhos em ti...

Carlos Ramos said...

Parabens pela escolha de Sophia, que grande poetisa. Nunca é demais, nem tarde...

Isabel Maria Rosa Furtado Cabral Gomes da Costa said...

A Sophia dá-me tanta paz! Assim como a cor lilaz.
Beijo.