Olho por olho , e o mundo ficará cego .











Mahatma Gandhi








Saber


Vi _Ver .



Friday, June 15, 2012

Alfazema






















Quando  estendia  a  mão 
para  um  fruto  na  árvore ,
era  como  se  sem  pudor  ,  procurasse
     o   centro   da   Terra .




Fiama   Pais  Brandão

9 comments:

São said...

Nunca li Fiama...

Bons sonhos, MAria.

C Valente said...

Bom fim de semana
Saudações amigas

Nilson Barcelli said...

E é preciso algum pudor face ao centro das coisas...
Maria, minha querida amiga, tem um bom resto de domingo e uma boa semana.
Beijo.

Smareis said...

Maravilhoso, não conhecia a autora.
A imagem é linda.

Beijos e ótima semana!

Lilá(s) said...

E cá estás tu com as tuas escolhas lindas. Sabes que na Holanda têm as coroas de flores, alfazema etc. durante todo o ano nas portas de entrada? ficam lindas!
Bjs

Isabel Maria Rosa Furtado Cabral Gomes da Costa said...

Talvez procurasse mesmo o centro da Terra, porque a árvore conhece-se pelos seus frutos.
Um abraço.

C Valente said...

Saudações amigas

Sonhadora said...

Minha querida

Por vezes o centro de nós é um lugar intangível...Lindo este poema de Fiama Pais Brandão.

Um beijinho com carinho
Sonhadora

Emília Pinto e Hermínia Lopes said...

E as árvores são vida...dão-nos os frutos, enchem-se de pássaros que lá procuram abrigo e alimento. E assim vamos vivendo...com pudor...´`as vezes sem pudor, procurando as árvores, maltratando-as com frequência. Lindo, Amiga, na sua singeleza. Um beijinho
Emília