Olho por olho , e o mundo ficará cego .











Mahatma Gandhi








Saber


Vi _Ver .



Friday, September 24, 2010

Alfazema .






















Preciso do teu silêncio
cúmplice
sobre minhas falhas.
Não fale.
Um sopro ,
a menor vogal
pode me desamparar !
E se eu abrir a boca ,
minha alma vai rachar.
O silêncio ,
aprendo ,
pode construir.
É um modo ...
denso ... tenso ,
de coexistir.
Calar , às vezes ,
é fina forma ,
de amar .


Affonso Romano de Sant'Anna

Wednesday, September 22, 2010

Violetas


*
Não há revolta no homem
que se revolta calçado.
O que nele se revolta
é apenas um bocado
que dentro fica agarrado
à tábua da teoria.

Aquilo que nele mente
e parte em filosofia
é porventura a semente
do fruto que nele nasce
e a sede não lhe alivia.

Revolta é ter-se nascido
sem descobrir o sentido
do que nos há-de matar.

Rebeldia é o que põe
na nossa mão um punhal
para vibrar naquela morte
que nos mata devagar.

E só depois de informado
só depois de esclarecido
rebelde nu e deitado
ironia de sabero que só então se sabe
e não se pode contar.
*
*
Natália Correia

Thursday, September 16, 2010

Alfazema .



Não desças os degraus do sonho
Para não despertar os monstros.
Não subas aos sótãos , onde
Os deuses, por trás das suas máscaras,
Ocultam o próprio enigma.
Não desças, não subas , fica.
O mistério está é na tua vida
!

E é um sonho louco este nosso mundo...

Mario Quintana _ Baú de Espantos _

Friday, September 10, 2010

Violetas



O que há em mim é sobretudo cansaço
Não disto nem daquilo ,
Nem sequer de tudo ou de nada ...
Cansaço assim mesmo , ele mesmo,
Cansaço.

A subtileza das sensações inúteis ,
As paixões violentas por coisa nenhuma,
Os amores intensos por o suposto alguém.
Essas coisas todas ,
Essas e o que faz falta nelas eternamente .

Tudo isso faz um cansaço ,
Este cansaço ,
Cansaço.

Há sem dúvida quem ame o infinito ,
Há sem dúvida quem deseje o impossível ,
Há sem dúvida quem não queira nada .
Três tipos de idealistas , e eu nenhum deles ...

Porque eu amo infinitamente o finito,
Porque eu desejo impossivelmente o possível ,
Porque eu quero tudo , ou um pouco mais , se puder ser ,
Ou até se não puder ser...

E o resultado
?

Para eles a vida vivida ou sonhada ,
Para eles o sonho sonhado ou vivido,
Para eles a média entre tudo e nada, isto é, isto...
Para mim só um grande, um profundo,
E, ah com que felicidade infecundo, cansaço,
Um supremíssimo cansaço.
Íssimo, íssimo , íssimo ,
Cansaço...


Fernando Pessoa _ Alvaro de Campos _

Saturday, September 04, 2010

Alfazema .


*
Sonhos
enormes como cedros
que é preciso
trazer de longe
aos ombros
para achar
no inverno da memória
este rumor
de lume ...
o teu perfume ,
lenha
da melancolia.


Carlos Oliveira