Olho por olho , e o mundo ficará cego .











Mahatma Gandhi








Saber


Vi _Ver .



Friday, September 10, 2010

Violetas



O que há em mim é sobretudo cansaço
Não disto nem daquilo ,
Nem sequer de tudo ou de nada ...
Cansaço assim mesmo , ele mesmo,
Cansaço.

A subtileza das sensações inúteis ,
As paixões violentas por coisa nenhuma,
Os amores intensos por o suposto alguém.
Essas coisas todas ,
Essas e o que faz falta nelas eternamente .

Tudo isso faz um cansaço ,
Este cansaço ,
Cansaço.

Há sem dúvida quem ame o infinito ,
Há sem dúvida quem deseje o impossível ,
Há sem dúvida quem não queira nada .
Três tipos de idealistas , e eu nenhum deles ...

Porque eu amo infinitamente o finito,
Porque eu desejo impossivelmente o possível ,
Porque eu quero tudo , ou um pouco mais , se puder ser ,
Ou até se não puder ser...

E o resultado
?

Para eles a vida vivida ou sonhada ,
Para eles o sonho sonhado ou vivido,
Para eles a média entre tudo e nada, isto é, isto...
Para mim só um grande, um profundo,
E, ah com que felicidade infecundo, cansaço,
Um supremíssimo cansaço.
Íssimo, íssimo , íssimo ,
Cansaço...


Fernando Pessoa _ Alvaro de Campos _

8 comments:

AC said...

Um grande poema!

Beijo :)

ONG ALERTA said...

O amor nos faz ter imaginações...paz.
Beijo Lisette.

poetaeusou . . . said...

*
Pessoa, sempre,
,
no quarto
do meu cansaço
há alcatifas
de violáceas,
roxas cortinas
franjas lilases
noites violeta
lírios de fogo
fervendo alfazemas
ao sol nascente !
,
Conchinhas,
*

Daniele O said...

Muito belo!

Lilá(s) said...

Alvaro de Campos, violetas e um cadeirão...perfeito para uma amena tarde de Verão
Bjs

paulo said...

Tu e o teu eterno cansaço , sem figura poética , e que preocupa ...
os amigos .

beijos

Noslen ed azuos said...

ahh! pessoa como gosto de pessoas, simples como Alvaro de Campos.

bjão
ns☺

Nilson Barcelli said...

Também sou afectado pelo cansaço... mas reajo...
O poema é do Poeta (o meu favorito), está tudo dito.
Beijos, querida amiga.