Olho por olho , e o mundo ficará cego .











Mahatma Gandhi








Saber


Vi _Ver .



Wednesday, November 03, 2010

Alfazema


Povo que lavas no rio ,
Que vais às feiras e à tenda ,
Que talhas com teu machado
As tábuas do meu caixão ,
Pode haver quem te defenda ,
Quem turve o teu ar sadio ,
Quem compre o teu chão sagrado

Mas a tua vida , não!

Meu cravo branco na orelha!
Minha camélia vermelha!
Meu verde manjericão!
Ó natureza vadia!
Vejo uma fotografia ...
Mas a tua vida , não
!

Fui ter à mesa redonda,
Bebendo em malga que esconda
O beijo , de mão em mão...
Água pura , fruto agreste,
Fora o vinho que me deste,
Mas a tua vida , não
!

Procissões de praia e monte ,
Areais , píncaros , passos
Atrás dos quais os meus vão
!
Que é dos cântaros da fonte ?
Guardo o jeito desses braços...
Mas a tua vida , não
!

Aromas de urze e de lama!

Dormi com eles na cama ...
Tive a mesma condição .
Bruxas e lobas , estrelas
!

Tive o dom de conhecê-las ...
Mas a tua vida , não
!


Subi às frias montanhas ,
Pelas veredas estranhas
Onde os meus olhos estão .
Rasguei certo corpo ao meio ...
Vi certa curva em teu seio ...
Mas a tua vida , não
!

Só tu! Só tu és verdade!

Quando o remorso me invade
E me leva à confissão ...
Povo
!
Povo! eu te pertenço .
Deste-me alturas de incenso,
Mas a tua vida , não!



Pedro Homem de Mello_ Miserere _

8 comments:

ALUISIO CAVALCANTE JR said...

Querida amiga

A vida é o que existe
de mais precioso em nós.
Embora não nos pertença,
é a nossa essência,
razão e sentido.

Lindo poema.

Semana de alegrias para ti.

Andradarte said...

Lindo Poema...Lindo Fado...
Adoro esta cor.
Beijo

Lilá(s) said...

Lindo! conseguis-te por-me a cantarolar...
Bjs

Nilson Barcelli said...

Nunca me canso de ler este poema.
Gosto do teu gosto...
Beijos, querida amiga.

José Manuel Marinho said...

Um poema interessantíssimo o que tu lembraste, inigualavelmente interpretado por Amália e António Variações. Tudo de bom.

poetaeusou . . . said...

*
alfazema do monte
amonte
n teu blog !
,
adorei,
,
conchinhas,
,
*

ONG ALERTA said...

A vida é nosso maior presente...simplesmente viva...
Beijo Lisette.

Luis Filipe Gomes said...

Às vezes penso se não foi por causa dele e daquele programa em que passava os ranchos folclóricos que os meus sentidos se abriram para o deslumbramento posterior da música do José Afonso e dos documentários do Michel Giacometi.