Olho por olho , e o mundo ficará cego .











Mahatma Gandhi








Saber


Vi _Ver .



Wednesday, August 18, 2010

Violetas .



Sonho , mas não parece.
nem quero que pareça.
É por dentro que eu gosto que aconteça
a minha vida.
Íntima , funda , como um sentimento
de que se tem pudor.
Vulcão de exterior
Tão apagado ,
Que um pastor
Possa sobre ele apascentar o gado.

Mas os versos , depois ,
Frutos do sonho e dessa mesma vida ,
É quase à queima-roupa que os atiro
Contra a serenidade de quem passa .
Então , já não sou eu que testemunho
A graça
Da poesia ...
É ela prisioneira ,
Que , vendo a porta da prisão aberta ,
Como chispa que salta da fogueira ,
Numa agressiva fúria se liberta .





Miguel Torga

8 comments:

AC said...

É sempre um prazer ler Torga, um dos escritores que preservo muito.
Boa escolha, Maria!

Beijo :)

Marilu said...

Querida amiga, lindo poema..Beijocas

poetaeusou . . . said...

*
miguel torga,
pois então !
,
De tanto olhar o sol,
queimei os olhos,
De tanto amar a vida enlouqueci.
Agora sou no mundo esta negrura.
À procura
Da luz e do juízo que perdi.
,
in-torga,
,
marés lilases,
deixo,
,
*

Beatriz Prestes said...

Teu poetar invade a alma!!!
Lindo!!
Beijo com carinho minha amiga querida
Bea

jefhcardoso said...

*Entre o sonho e a realidade eu prefiro a realidade que me permita sonhar. http://jefhcardoso.blogspot.com

MEU DOCE AMOR said...

Belo poema de Miguel Torga.

É por dentro que a vida deve,realmente acontecer, envolta em sentimentos profundos.Talvez uma forma de solidificar as nossas vivências, para depois as partilhar comm convicção...digo eu!

Beijinho doce esperando a tua visita:)

Hoje falaremos de Amor., esse vinculo emocional que sempre deu que falar, desde os tempos mais remotos... Escolhi dois textos que acho muito interessantes e que servirão para os meus queridos amigos reflectirem e deixarem as suas sempre tão bem vindas opiniões.

Mariana said...

Belo os poemas, e as violetas são lindas.

Lilá(s) said...

Não conhecia este poema de MIguel Torga, apesar de gostar de o ler. E a simplicidade da violeta que sempre me encanta...
Beijos