Olho por olho , e o mundo ficará cego .











Mahatma Gandhi








Saber


Vi _Ver .



Tuesday, August 24, 2010

Alfazema .



De repente ,
do riso fez-se o pranto
silencioso e branco como a bruma
E das bocas unidas fez-se a espuma
E das mãos espalmadas fez-se o espanto.
De repente ,
da calma fez-se o vento
Que dos olhos desfez a última chama
E da paixão fez-se o pressentimento
E do momento imóvel fez o drama.
De repente,
não mais que de repente .
Fez-se de triste o que se fez amante .
E de sozinho o que se fez contente .
Fez-se do amigo próximo o distante .
Fez-se da vida uma aventura errante .
De repente,
não mais que de repente
!


Vinicius de Morais


Ver video aqui

6 comments:

Marilu said...

Querida amiga, esse poema de Vinícius de Moraes, é um dos mais lindos...grande poetinha...Beijocas

Nilson Barcelli said...

Bela escolha, querida Maria. Gosto do teu bom gosto...
Um beijo.

Andradarte said...

Grande Vinícios...
Beijo

AC said...

Vinicius e um olhar sobre a vida, sempre em mutação...

Beijo :)

poetaeusou . . . said...

*
lentamente,
li Vinicius !
,
gostei do post,
,
brisas serenas,
deixo,
,
*

Lilá(s) said...

Acho esse poema do Vinícius de Moraes lindissimo,se bem que gosto imenso de todos os que conheço dele. E essa imagem é claro que não me podia deixar de encantar, muito em comum temos!!!
Beijinhos