Olho por olho , e o mundo ficará cego .











Mahatma Gandhi








Saber


Vi _Ver .



Saturday, May 11, 2013

Violetas























/
Mas  poucos sabem qual é o rio da minha aldeia
E para onde ele vai
E donde ele vem .
E por isso , porque pertence a menos gente ,
É mais livre e maior o rio da minha aldeia .
Pelo Tejo vai-se para o Mundo .
Para além do Tejo há a América
E a fortuna daqueles que a encontram .
Ninguém nunca pensou no que há para além
Do rio da minha aldeia .


O rio da minha aldeia não faz pensar em nada .
Quem está ao pé dele está só ao pé dele .





Fernando  Pessoa  [ Alberto  Caeiro  ]


10 comments:

Nádia Santos said...

Lindo poema. Bom dia e tenha um lindo final de semana. Bjus

=> Gritos da alma
=> Meus contos
=> Só quadras

São said...

é bom quando se pode estar tranquilamente , sem pensar em nada de concreto.

Viva o rio de Pessoa!

Beijinhos, Maria

Maria Rodrigues said...

Um rio de aldeia traz-nos paz interior. Belissimo poema.
Peço desculpa da minha ausência mas com o tempo disponivel sempre "contadinho", quando surgem imprevistos torna-se impossível gerir tudo.
Os meus posts estão agendados e vão saindo ...
Bejinhos
Maria

Lilá(s) said...

Em criança sonhava ter uma aldeia, quase todas as minhas amigas tinham na terra dos avós, falavam do rio dos animais...e eu sonhava, sonhava...o teu poema fez-me recordar...
Bjs

Emília Pinto e Hermínia Lopes said...

Nunca sabemos para onde vai o rio da nossa aldeia, mas sabemos que temos saudades dele e que nos acalma, quando em silêncio imaginamos estar nas suas margens. Lindo, amiga! Obrigada pela partilha.Beijinhos
Emília

Rua Sem Dono said...

Cor da Flor!!!

E quem tem a divina sorte de estar aos pés de um rio de sua aldeia não deveria pensar em mais nada a não ser em estar feliz por estar aos pés de um rio, nada mais... O resto são medíocres comparações!

Como diriam meus saudosos parentes portugueses...

Patrícios beijos!

ONG ALERTA said...

Linda lembrança, beijo Lisette.

AC said...

Fernando Pessoa teve a sabedoria de se desmultiplicar, mas, que se saiba, o resultado final continua por aí, à espera que alguém o alcance...

Beijo :)

J Araújo said...

Lindas as imagens expostas aqui. Parabéns!!

FILOSOFANDO NA VIDA Profª Lourdes Duarte said...

Lindo poema, amei as postagens e o blog. Já estou seguindo!Quando tiver um tempinho, visite meus blogs e se ainda não segue, ficarei feliz lhe ver lá. Abraços, um final de sema abençoado e feliz.
http://professoralourdesduarte.blogesus as abençoe sempre.spot.com.br/
http://filosofandonavidaproflourdes.blogspot.com.br/