Olho por olho , e o mundo ficará cego .











Mahatma Gandhi








Saber


Vi _Ver .



Saturday, March 16, 2013

Violetas


















Senhor ,  que   ao  menos  a   infância   permaneça .
 






Manuel  António  Pina 

6 comments:

São said...

Oxalá assim seja!

Só que quando um Primeiro-Ministro face ao drama de milhares de crianças esfomeadas afirma friamente que "todos os ajustamentos são dolorosos" não me parece isso possível, desgraçadamente.

Bom fim de semana, Maria.

Lilá(s) said...

E os sonhos da infância também...
Bjs

Andradarte said...

....se não for a infância....que
seja o seu espírito..
Beijo

Marilu said...

Querida amiga,
Façamos como as árvores
nesta nova estação de outono,
que se despem das folhas
mortas.
Temos que nos despir de
todas as mágoas, tristezas,
incertezas, desamor.
Vamos abrir nosso coração
enchê-lo de amor, amizade,
solidariedade.
Quando a primavera chegar
estaremos prontos a
encher nossos jardins de
flores de esperança.
Beijokas

poetaeusou . . . said...

*
desculpa, amiga
a infância,
é o começo do embuste,
(sei que existe
o sentido figurado
nas silabas, de M.A. Pina)
frustração que eu senti,
quando atingi
a idade de pensar . . .
.
Manuel António Pina,
um vidente ?
,
A poesia vai acabar, os poetas
vão ser colocados em lugares mais úteis. por exemplo, observadores
de Pássaros (enquanto os Pássaros
não acabarem) esta certeza tive-a
ao entrar numa repartição publica.
,
in-a poesia vai acabar-M.A.Pina .
,
ummar de amizade, deixo,
*

Emília Pinto e Hermínia Lopes said...

E ao menos as crianças ainda não são capazes de entender a maldade do ser humano; sabem que têm fome, sabem que não podem brincar, sabem também que a escola para algumas não existem. Felizmente que ainda, na sua inocência, não acreditam que aquelas pessoas que lhe afagam os cabelos sejam tão más e que não tenham o mínimo de humanidade nos corações. Belo poema, bonita frase. Um beijinho e esperemos que um dia os que nos governam comecem a ter um pingo de sensatez. Está difícil, mas temos que seguir com essa esperança. Fica bem, amiga!
Emília