Olho por olho , e o mundo ficará cego .











Mahatma Gandhi








Saber


Vi _Ver .



Friday, March 09, 2012

Violetas






















 Liberdade, que estais no céu . . .
Rezava o padre-nosso que sabia ,
A pedir-te , humildemente ,
O pio de cada dia .
Mas a tua bondade omnipotente
Nem me ouvia .

Liberdade, que estais na terra . . .
E a minha voz crescia
De emoção .
Mas um silêncio triste sepultava
A fé que ressumava
Da oração .

Até que um dia , corajosamente ,
Olhei noutro sentido , e pude, deslumbrado ,
Saborear , enfim ,
O pão da minha fome . . .

 Liberdade , que estais em
 mim ,
Santificado seja o vosso nome .





Miguel Torga 

13 comments:

Margarida said...

O belo Miguel Torga... Hoje aprendi sobre ele. Beijinhos

Mariazita said...

Bom dia, Maria
Miguel Torga é um dos meus (mais..) preferidos.
É, de facto, um poeta excepcional.
E este poema é lindo, duma grande profundidade e significado.
ADOREI recordar.

Bom fim de semana. Beijinhos

ALUISIO CAVALCANTE JR said...

Querida amiga

Quanta beleza
neste poema.

A liberdade,
é o sentido
de todos os sentidos
que habitam
a nossa vida.


Desejo que a alegria
faça folia em sua vida.

Nilson Barcelli said...

A liberdade começa em nós, na verdade.
Excelente escolha poética.
As flores são lindas, como sempre.
Querida amiga, tem um bom domingo.
Beijos.

ONG ALERTA said...

Lindíssimo, beijo Lisette.

Nita said...

É um prazer passear por aqui!

Beijo da Nita :)...

Isabel Maria Rosa Furtado Cabral Gomes da Costa said...

Miguel Torga deixou-nos um riquíssimo legado.
Um beijo.

AC said...

Torga tinha destas coisas, e ainda bem.

Beijo :)

Lilá(s) said...

Um poeta excepcional, e as tuas escolhas são sempre boas!
Bjs

Smareis said...

Maravilhoso poema do Miguel Torga .

Divino.

Beijos grande amiga!

São said...

Torga, um dos meu preferidos de sempre...

Bons sonhos

Beatriz Prestes said...

Maravilhosa composição!!
Pura melodia em poesia!!
Beijão amiga querida...me fez muita falta estar por aqui!!
Bea

Emília Pinto e Hermínia Lopes said...

Adorei este poema à liberdade em forma de oração...em forma de prece ao Pai nosso que nos dê o pão de cada dia e nos mate a fome de liberdade, fome essa que, em alguns aspectos, ainda não nos foi saciada. Lindo! Obrigada pela partilha. Um beijinho
Emília