Olho por olho , e o mundo ficará cego .











Mahatma Gandhi








Saber


Vi _Ver .



Wednesday, July 25, 2012

Violetas

















Deito fora as imagens ,
Sem ti para que me servem
as imagens ?


Preciso habituar-me
a substituir-te
pelo vento ,
que está em toda a parte
e cuja direcção
é igualmente passageira
e verídica .


Preciso habituar-me ao eco dos teus passos
numa casa deserta ,
ao trémulo vigor de todos os teus gestos
invisíveis ,
à canção que tu cantas e que mais ninguém ouve
a não ser eu .


Serei feliz sem as imagens .
As imagens não dão
felicidade a ninguém .


Era mais difícil perder-te ,
e , no entanto , perdi-te .


Era mais difícil inventar-te ,
e eu te inventei .


Posso passar sem as imagens
assim como posso
passar sem ti .


E hei-de ser feliz ainda que
isso não seja ser feliz .





Raul  de  Carvalho

8 comments:

AC said...

Há sempre que reinventar novos trilhos, para lá da estagnação.

Beijo :)

Luis Filipe Gomes said...

Poema transcendente, magnífico.
Muito contundente para alguém como eu que se perde com as imagens, e se agarra às imagens e passa a vida imageínando.

Andradarte said...

'Serei feliz sem as imagens .
As imagens não dão
felicidade a ninguém .'
....................
Bonito poema.....
Beijo

Lilá(s) said...

Mas, eu gosto de me agarrar ás imagens...
Bjs

Sonhadora said...

Minha querida

As recordações são por vezes o que resta...lindo este poema de Raul de Carvalho.

Um beijinho com carinho
Sonhadora

Marilu said...

Querida amiga,

Tenha um lindo e abençoado final de
semana.
Beijocas

Smareis said...

O poema é maravilhoso, não conhecia o autor.
Linda essa imagem...
Beijos e ótima semana!

Nilson Barcelli said...

As violetas são lindas.
E o poema é muito bom.
Maria, tem uma boa semana.
Beijo.