Olho por olho , e o mundo ficará cego .











Mahatma Gandhi








Saber


Vi _Ver .



Sunday, February 24, 2013

Afazema
















Elas são as mães . . .
rompem do inferno , furam a treva ,
arrastando
os seus mantos na poeira das estrelas .
Animais sonâmbulos ,
dormem nos rios , na raiz do pão .

Na vulva sombria
é onde fazem o lume ,

ali têm casa .
Em segredo , escondem
o latir lancinante dos seus cães .

Nos olhos , o relâmpago
negro do frio .

Longamente bebem
o silêncio
nas próprias mãos .

O olhar
desafia as aves . . .

o seu voo é mais fundo .
a escutar
os passos do crepúsculo .

Despem-se ao espelho
para entrarem
nas águas da sombra .

É quando dançam que todos os caminhos
levam ao mar .

São elas que fabricam o mel ,
o aroma do luar ,
o branco da rosa .

Quando o galo canta
Desprendem-se
para serem orvalho .


 



Eugénio de Andrade

Saturday, February 16, 2013

Violetas

 

A minha alma fugiu pela Torre Eiffel acima ,
_ a verdade é esta , não nos criemos mais ilusões _
Fugiu , mas foi apanhada pela antena da t. s. f. ,
que a transmitiu pelo infinito , em ondas hertzianas . . .

Em todo o caso , que belo fim para a minha Alma ! . . .




Mário de Sá Carneiro 

Saturday, February 09, 2013

Alfazema























Não era o quarto de nenhum de nós ,
mas a ele regressávamos sempre com a pressa
de quem anseia os cheiros quentes e antigos da casa conhecida .
Como quem espera ser aguardado .

Pressenti , porém , que não era eu quem aguardavas . . .
Uma noite , pedi - te mais um cobertor em vez de um abraço .






Maria  do  Rosário  Pedreira